Sábado, 28 de Julho de 2007

ZÉ BRASILEIRO- PORTUGUÊS DE BRAGA

ESTA É UMA RESPOSTA A UM PP QUE A MINHA AMIGA DÉBORA ME MANDOU

 

 

   PONTO DE VISTA......

ou melhor: ..........PONTO DE "OUVIDO"....KKKKKK

  Eu recebi um PP da minha amiga Débora, italo - brasileira, e apercebi-me que a intenção do trabalho era corrigir algumas "más utilizações " da linguagem dos brasileiros em geral. Quando me apercebi de tal , eu ia começar a "estardilhar", ( palavra inventada por mim...aproveitem...não paga direitos), mas acalmei depressa á medida que ia lendo. De facto, o autor, apenas aconselhava os brasileiros a corrigirem certos aspectos que estão tão mal no brasileiro como no português, com, por exemplo erros de concordância em número e género e outra elementaridades. Mas o autor do PP respeitou, ( ou pelo menos não se referiu a tal), a peculiaridades inestimáveis da língua falada e escrita brasileira. Estou a referir-me, por exemplo a pronomes e outras coisas assim: querer pôr os brasileiros a dizer : " quero falar-lhe" , em vez de " quero lhe falar" como usualmente fazem seria uma barbaridade anti - cultura das maiores, na minha modesta opinião. Comecei a ler Jorge Amado aos onze anos de idade e nunca tive problemas, a não ser com os dicionários portugueses.....( Que era isso de cabrocha? de estrovenga?...e chibiu??). Mas  a integração das palavras no contexto ajudou-me a ultrapassar estas dificuldades....( suponho....kkkkk).

   Há bom português e mau português, há bom brasileiro e mau brasileiro e o bom brasileiro é tão bom como o bom português!

    Só que ás vezes, na vida corrente , há particularidades que deixam o visitante português no Brasil um bocado embaraçado e vice versa....mas são expressões locais, o jargão urbano e rural......KKKKK: Não esquecerei jamais a cara do segurança da estação de correios no Rio, quando ingenuamente lhe perguntei " qual era a bicha para o telefone". AI!!!! Uma das minha outras dificuldades era com recepcionistas e secretárias: Eu contactava, perguntava se podia falar com o Sr. Fulano e elas diziam: " Pois não". Perante isto eu perguntava "então a que horas posso falar" e gerava-se uma confusão homérica.....Claro que até um elementar como eu acabou por perceber que "pois não" queria dizer "pois sim"...... Hummmm....KKKKK! Mas ao mesmo tempo estou a ver um brasileiro de gema, o Gerivaldo, por exemplo, encostado a um balcão de uma cafetaria lisboeta: Chega um cliente português e pede um "garoto"....chega outro logo a seguir e pede a mesma coisa ...... E o Gerivaldo pensa: " Oi Geri! Cai fora daqui irmão, que isto é cafetaria de pedófilo"

Nota: "garoto" é um pequeno café com um pouco de leite

publicado por mochovelho às 21:19
link do post | comentar | favorito
|
2 comentários:
De Rodrigo a 29 de Julho de 2007 às 00:37
Pior ainda é saber que em Portugal as pessoas levam "os putos na farmácia para tomar uma pica no cu" ou que os homens usam "camisola" e as mulheres "cueca".

No Brasil:

Puto: prostituto ou alguém que esteja muito bravo (ex: "tô puto da vida")
Pica: pênis (gíria)
Cu: ânus
Camisola: roupa feminina de dormir
Cueca: roupa íntima masculina
De mochovelho a 30 de Julho de 2007 às 17:27
Oi Rodrigo....Ri bastante com o seu comentário e vou , por minha vez, prestar uns esclarecimentos:
1º - É verdade que chamamos putos ás crianças, garotos, especialmente se são rapazes....mas você pode muito bem ouvir um pai de uma menina e um menino dizer a um amigo : " ontem os putos deram comigo em doido...já não podia com eles".. KKKK!
2º - Isso de ir levar uma pica á farmácia deve ser muito antigo... eu tenho 63 anos e não me lembro das farmácias poderem dar injecções...tanto quanto saiba era nos postos médicos e de saúde que davam ou chamava-se uma enfermeira a casa ....mas lá que dizemos "pica" aos putos dizemos... kkkk . Agora , não dizemos pica no "cu", ma sim pica no rabinho ( o equivalente a bundinha ".. kkkkk ). Por outro lado, pica passou a ter outro significado moderno além de injecção... dizemos que estamos com "pica" se estamos excitados por qualquer boa razão....percebe??? A palavra camisola aplica-se ao vestuário feminino e masculino indiferentemente...eu tenho camisolas e a minha mulher também, quer de roupa interior quer exterior. A palavra cueca também se aplica indistintamente aos dois sexos, na sua qualidade de roupa interior. É verdade porém, que uma mulher quando vai a uma loja pergunta por cuecas, e um homem pergunta por slips " ou "boxers", mas é a mesma coisa. E é tudo. Obrigado pelo seu comentário

Comentar post

mais sobre mim


ver perfil

. 1 seguidor

pesquisar

Agosto 2009

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
31

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

posts recentes

AS APLICAÇOES PRÁTICAS D...

DESCRIMINAÇÃO

VIVA A BADERNA

HAVERÁ TERCEIRA VIA??

Há terceira via??????

O PADROEIRO

EMÉTICO

ACUDAM !!!!!

...

BIBA!BIBA!BIBA!

TERRORISMO E PRESERVATIVO...

A CRISE

DISCIPLINA

O QUE SERÁ?

O REGRESSO DOS ABUTRES

O IMOBILIÁRIO

A CRISE

QUE TAL....

Aonde vamos????

DUARTE de ALMEIDA

arquivos

Agosto 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

links

blogs SAPO

subscrever feeds