Sexta-feira, 20 de Junho de 2008

A MULHER MODERNA II

          A MULHER MODERNA II

 

  Já deixei bem clara a minha admiração pela minha parceira biológica em escritos anteriores. Poderá julgar-se, que, por ter descrito a mulher típica de um passado de injustiças e sofrimentos, quantas vezes inúteis, a minha faceta de admirador da mulher tem um cariz essencialmente conservador....NADA MAIS ERRADO. Essa ideia pode ainda ter saído reforçada pelo meu post anterior, mas o tom “critico “ que lhe querem descobrir, a existir, teria completa justificação, pois há muitas mulheres e muitos comportamentos diferentes, não podemos meter tudo no mesmo saco. Não o disse no MULHER MODERNA I, mas digo-o neste:              

  Quero  falar, nesta pequena série em três episódios de aspectos que acho menos bons, que acho que temos que corrigir, como por exemplo a ideia que uma larga percentagem de mulheres mais jovens fazem da liberdade pessoal e emancipação..... Estou a referir-me ás jovens mulheres que acham que atingem a total emancipação quando conseguem finalmente copiar todos os defeitos do homem comum..... Copiar o homem já não lembra ao diabo...ainda por cima só nos defeitos conduz ao desastre completo.

  Homem e mulher são diferentes e assim devem permanecer para se complementarem, e fazerem juntos o melhor possível. Se insistem em ser iguais muito se perde! ..... Iguais? Só nos direitos! Sobre este assunto falei uma vez com um fulano a quem expressei esta opinião.....Ele disse-me que não concordava comigo; segundo ele os defeitos eram os mesmos do homem e já lá estavam... o que aconteceu é que encontraram a liberdade necessária para se manifestarem. Será assim? Pode ser que sim, ao fim ao cabo, a natureza é a mesma, mas confesso que nada posso afirmar sobre isto. Fica uma interrogação. Espero a vossa opinião.

 

   A propósito de muito desse comportamento, a mulher moderna não se apercebe de quanto foi e é influenciada por manobras masculinas... ( isto sem a mania da conspiração), através de todos os meios de comunicação, desde o cinema e TV , até ás “revistas cor de rosa”. Sob o ponto de vista masculino, a acessibilidade da mulher e o seu desprendimento, dispensando compromissos é “vantajoso”. É portanto necessário e útil convencê-la que o que antigamente se chamava promiscuidade hoje é apenas liberdade sexual....KKKK!.... e mostrá-lo ás carradas! Podemos dizer que temos grande número de mulheres á frente dos media que veiculam essa ideia...são trabalhadoras contratadas pelos magnatas da comunicação. Outro exemplo é a descoberta do “mercado mulher”.Mais uma vez a mulher está escravizada, mas de um modo muito sofisticado, através da moda. Montes de dinheiro, montes de desejos, montes de comportamentos menos próprios....Há quem se prostitua para comprar uma carteira Louis Vuitton, ( é assim, o nome do estilista...?)

   Eu disse que ia apenas falar do que me desagrada, e portanto não podemos esperar poesia e madrigais....desculpem!

 

publicado por mochovelho às 20:50
link do post | comentar | favorito
5 comentários:
De NEOABJECCIONISMO a 24 de Junho de 2008 às 18:32
Mocho Velho.
De acordo que a mulher copia muitos dos defeitos do homem, mas eu tenho uma outra ideia que gostava de comentar consigo.
No plano dos direitos eu tenho dúvidas se a mulher não esteve desde sempre emancipada. Se é verdade que é manipulada pelo homem, ou o contrário. A frase que diz estar sempre por detrás do sucesso dum homem, uma grande mulher, não é exibida em vão.
Um curta e mera análise histórica, mostra a mulher a ter a última palavra em assuntos importantes. como a vida e a morte. A instigar e ou influenciar grandes decisões. É por amor a uma mulher que muitos homens se transformam da essência de si. Anulam-se.
O que assistimos hoje, mulheres jovens no engate, como nos habituámos a ver os rapazes, que simplesmente dizer que a mulher saiu do anonimato. Mostra-se tal qual sempre foi, mas por decência, pudor religioso e à sociedade, não se exibia ás claras.
Temos assunto para discussão?
Um grande abraço
De mochovelho a 25 de Junho de 2008 às 13:54
Olá Neoabjecionista....como vai.
No fundo, a minha leitura do seu comentário é que você pensa como o meu amigo que menciono no post: "Os defeitos, ou melhor, a natureza esteve sempre lá e a diferença é que agora tem liberdade para se mostrar". Mas, a minha vida obrigou-me a ter uma posição sobre estas coisas muito ingrata e prejudicial para mim próprio, ...que se resume a isto: Fora a matemática , em tudo o mais , as coisas não são nem brancas nem pretas , são sempre cinzentas. Portanto se formos a ver , e baseados no príncipio que não há dois seres humanos iguais, ( nem gêmeos verdadeiros o são), coexistem as mais diversas situações...... Mas há uma coisa que eu ainda não falei e que de certo modo encaixa no que você diz: o famoso instinto da mulher. É esse instinto, que não tem nada a ver com animalismo, que faz a grande mulher atrás do grande homem , e é esse instinto que a leva também a saber se aquele homem tem condições de ser ou parecer grande. Esse instinto desenvolveu-se como uma necessidade de defesa por parte da mulher.....Espartilhada e perseguida , ela tinha que antecipar as coisas e aprendeu a ver para lá do que os olhos mostravam. Penso que isso lhe deu um papel muito importante em certas ocasiões históricas sem dúvida...mas na maioria dos casos, foi pura e simplesmente cilindrada.Quanto ao papel do homem nisto tudo, a mulher tem a beleza , as palavras a atração sexual, mas o homem mantem o poder, pelo menos executivo, instalado no pódio, E NÃO TENHA DÚVIDAS QUE O ENTENDIMENTO TÁCITO DOS GRANDES DESTE MUNDO SOBRE O RUMO QUE QUEREM QUE ESTE TOME EXISTE! ( e... curiosamente, atrás de alguns deles estará a tal mulher de que você fala, mas as mulheres nunca foram solidárias como seu próprio sexo.....isto é complexo demais para mim....). Um abração.
De NEOABJECCIONISMO a 25 de Junho de 2008 às 15:36
Viva, Mocho Velho. É agora complicado para si. O seu caminho está claríssimo." Ela aprendeu a ver para lá do que os olhos mostravam", esta frase arrepiou-me, porque está na minha linha de pensamento.
Eu não diria que as mulheres nunca, embora goste de absolutos, foram solidárias com o seu género. Muitas vezes são. Mas tão poucas vezes, concordo. Porque se conhecem melhor entre si do que os homens entre eles, talvez. Uma mulher acredita mais facilmente na sinceridade e lealdade de um homem do que duma outra mulher.
Mas antes falou do instinto. É certo que raramente a mulher falha quando escolhe o homem certo. E quando falha é porque foi tramada por outra mulher.
É uma riqueza de espírito falar consigo.
Um abraço forte

Comentar post

mais sobre mim


ver perfil

. 1 seguidor

pesquisar

Agosto 2009

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
31

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

posts recentes

AS APLICAÇOES PRÁTICAS D...

DESCRIMINAÇÃO

VIVA A BADERNA

HAVERÁ TERCEIRA VIA??

Há terceira via??????

O PADROEIRO

EMÉTICO

ACUDAM !!!!!

...

BIBA!BIBA!BIBA!

TERRORISMO E PRESERVATIVO...

A CRISE

DISCIPLINA

O QUE SERÁ?

O REGRESSO DOS ABUTRES

O IMOBILIÁRIO

A CRISE

QUE TAL....

Aonde vamos????

DUARTE de ALMEIDA

arquivos

Agosto 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

links

blogs SAPO

subscrever feeds