Terça-feira, 29 de Julho de 2008

O TEMPO EXISTE???

    

 A NATUREZA DE ALGO QUE NÃO EXISTE

 

    Este post vai ser anormalmente chato, mas prometo que fico por aqui. Trata-se do tempo, mas não no sentido atmosférico ou meteorológico e sim no sentido daquela coisa indefinível que separa dois acontecimentos sucessivos.

   Na Física clássica, a grandeza tempo não tem nada que saber, o tempo “corre para a frente, sempre á mesma velocidade e nunca volta para trás”....Oh! Que coisa boa!.....Mas na física relativista as coisas começam a complicar-se. O tempo passa “a correr a velocidades diferentes”, relacionadas com a velocidade de um objecto, ou com a força da gravidade num local. A coisa é de tal modo que, na entrada de um buraco negro, (essas coisas do espaço em que a força da gravidade é tão grande que até a luz não lhe escapa e é absorvida), se tivermos um objecto capturado pelo buraco ele leva apenas uns milionésimos de segundo a ser engolido no tempo aí medido, mas para um observador externo , fora da influência do buraco, o objecto desloca-se a uma velocidade tão lenta, ( por dilatação do tempo), que parece estar parado. Tudo isto é fundamentado numa matemática inatacável, (absoluta,.... KKKKK! ) e simples.

   As coisas tornam-se menos abordáveis quando passamos aos aspectos que o tempo pode tomar na filosofia: Uma pesquisa feita á tempos indica-me que a maioria dos filósofos não desliga o tempo dos acontecimentos que nele têm lugar. Assim, só o momento presente tem sentido e existência...o passado, como tempo não existe, apenas perduram dele recordações e testemunhos, e  para o futuro nem isso temos. Portanto sob o ponto de vista filosófico o tempo não existe desligado dos fenómenos que nele se passam. Que me lembre só dois filósofos discordavam desta ideia : Kant (ou Platão não estou bem certo) e Newton....para eles o tempo era uma estrada que estava no local independentemente de alguém passar lá ou não, ou passar-se nela alguma coisa.

...Tomando as ideias da corrente maioritária , concluímos assim que passamos grande parte do NOSSO TEMPO ( KKKKK!) preocupados com coisas que não existem.....Por exemplo, o remorso não tem sentido e a preocupação com o futuro muito menos. Claro que estou a torcer as coisas e a fazer “blague “ com isto, mas não menti sobre as correntes e pensamento filosófico AO LONGO DO TEMPO, que a minha pesquisa começou com Sócrates....

 

publicado por mochovelho às 20:07
link do post | comentar | ver comentários (9) | favorito

A VERDADE DA MENTIRA

 

 

    A VERDADE DA MENTIRA

 

    Eis aqui dois conceitos muito maltratados. O nosso caro Neo aborda no seu blog apenas a Mentira e de forma perfeitamente equilibrada e honesta. Mas esquece que não se pode saber o que é mentira sem se saber o que é verdade. E isto obriga-nos a sistematizar conceitos

    A verdade nunca deve ser confundida com uma outra coisa chamada realidade. A REALIDADE é-nos intangível, portanto, para uma realidade da qual só temos um magro esboço, correspondem várias verdades de vários observadores. Ou seja: A VERDADE NÃO É MAIS QUE UMA IMAGEM PESSOAL DA REALIDADE. A natureza não prendou nenhum animal com o dom de percepcionar completamente a realidade, nós , humanos incluídos. Portanto, e sob o mesmo facto, a cada um sua verdade, honesta, assumida e louvável.

... A mentira é por senso comum , o contrário da verdade. Para mim, um individuo mente quando , tendo uma determinada percepção de factos altera, omite ou acrescenta algo na sua descrição. Voilá! Mas, se em vez de factos se tratar de sentimentos, aí tenho a desgraçada opinião que não há verdade nem mentira porque não há objectividade , e portanto o caso não me compete nesta discussão.

   Curiosamente, saber mentir bem é uma vantagem na vida. A mentira bem construida é um importante instrumento de defesa. Verifiquei e digo isto, porque na minha infância, minha mãe instilou em mim a deificação da “verdade” e o repudio pela mentira. Este facto trouxe-me muitas dificuldades na vida.....Por exemplo , uma enorme dificuldade de me defender de mentirosos, porque face á mentira , eu achava aquilo tão estranho e negativo que ficava intelectualmente imobilizado. Claro que não estou a defender que os pais ensinem as crianças a mentir bem...mas quase....KKKK!

   Há muitos graus de mentira...Para mim a mais bem construída e mais perigosa é aquela que contém uma parte substancial de verdade e outra de mentira, pois a vitima, identificando a parte da verdade toma o todo pela parte e é mais facilmente enganada.

    Como dizia o nosso saudoso Aleixo :

P'rá mentira ser segura
e atingir profundidade,
tem que trazer à mistura
qualquer coisa de verdade.

 

publicado por mochovelho às 13:03
link do post | comentar | ver comentários (4) | favorito
Segunda-feira, 28 de Julho de 2008

MULETA NEGRA

      MULETA NEGRA

 

  Em Angola, quando um soldado cometia qualquer crime militar grave era punido de tal modo que isso implicava o alargamento do seu período de comissão. Resultado, havia indivíduos que já iam em mais de três anos de comissão e ainda por cima eram enviados para serviço nos locais mais quentes. No batalhão onde estávamos havia dois : o Corrécio e o Muleta Negra, ambos de uma violência patológica.

   Nesse dia eu estava de piquete e , felizmente , de oficial de dia estava o meu capitão directo, comandante da C.C.S., com quem eu me dava muito bem. Era um miliciano, como eu , mas muito mais velho do que seria normal para a sua condição, pois sendo um grande agrário alentejano, com bons "encostos", tinha arranjado todas as maneiras possíveis de protelar a sua mobilização.

   Como usualmente, á noite, estávamos na messe, a jogar dados e beber uísque com soda, quando somos alertados por grande reboliço. Saímos cá para fora, em plena noite e verificamos um movimento apressado e receoso de vários soldados das companhias operacionais....

     ”O que se passa?

     ”É o Muleta Negra meu capitão....apanhou uma bebedeira de cerveja e está escondido atrás das lages do cemitério. Levou a arma e os carregadores e diz que mata toda a gente....e o gajo é doido, bem sabe....”

      Pensei: isto vai sobrar para mim, que estou de piquete e tenho que o ir lá buscar....ai,ai!

     O capitão mantinha a calma....Era um fulano sem qualquer espírito militar e a sua única preocupação era gozar a vida..... Disse ele para os soldados que se iam juntando:

     “Ninguém faz nada sem ser por minha ordem...”     

     Respirei!

E continuou :

   “ Olha lá oh Alentejano, tu não és o maior amigo do Muleta????”

    “ Sou sim meu capitão, mas num pense que vou lá....Quando ele está assim é sair do caminho.....foda-se!”

    “Não” disse o capitão,” Só quero que fales com ele de longe.....Chega-te á frente diz-lhe quem és e pergunta se ele ali não tem frio”

    O alentejano, lá perguntou, gritando o mais alto que podia mas não se expondo:

     Alentejano:” Olha lá óh meu caralho, atão tu aí nas pedras não tens frio...a moite está a gelar.....”

     Muleta: “ Tenho , mas que se foda ....mato-os a todos!

    Capitão: “Pergunta-lhe se ele tem alguma coisa para beber, para aquecer...”

    Alentejano:”Tens aí alguma coisa que se beba para aqueceres?”

    Muleta: “Nãao....”

    Capitão: “Pergunta-lhe se ele gostava de ter uma garrafa de uísque”

    Alentejano: Olha lá óh meu caralho...gostavas de ter uma garrafa de uísque ai?”

     Muleta “ Queria sim... traz-me uma....”

     Alentejano: “Trago o caralho ...para me dares um tiro não?

      Muleta” Nãâoo...tu és amigo , a ti não faço mal se trouxeres uma garrafa...”

    Entretanto o capitão já tinha mandado o Firmino ir ao quarto dele e trazer uma garrafa da prateleira  "Traz Sbel, ouviste...Antiquary não que é bom demais”

.....Tratava-se agora de convencer o Alentejano  a oferecer o peito a possíveis balas e levar a garrafa ao Muleta... O capitão, que tinha todas as garrafas que queria, sacrificou mais uma para o convencer.

     O alentejano foi-se aproximando do abrigo do muleta, sempre de garrafa no ar e com grande conversa..... Lá chegado largou a garrafa no colo do muleta e pôs-se a correr para uma protecção fidedigna.

    Perguntámos ao capitão: “Então e agora?”

Capitão: "Agora? Cada um vai á sua vida, nós voltamos ao nosso jogo e o muleta bebe a garrafa.....”

.....Os sons foram esmorecendo....o muleta foi calando as suas ameaças, até que , daquele lado, ao fim de duas horas só havia silêncio. Nessa altura aproximamo-nos cuidadosamente....O muleta dormia pesadamente , cozendo uma bebedeira colossal. Ao lado dele uma garrafa de Sbel quase vazia.....Foi só pegar no corpo e metê-lo no casebre de pedra que servia de cadeia.....

....Aquele capitão era cá um rato....KKKKK!

 

publicado por mochovelho às 18:45
link do post | comentar | ver comentários (9) | favorito
Domingo, 27 de Julho de 2008

A MEMÓRIA

        

Heidegger-

 ( um dos meus existencialistas ateus preferidos, tal como Sartre )

 Transcrição, de algum lado, na Internet......

   1- A angústia tem, no pensamento de Heidegger, origem diversa da liberdade. Para ele a angústia resulta da  precariedade da base da existência humana. A "existência" do homem é algo temporário, paira entre o seu nascimento e a morte que ele não pode evitar. A sua vida está entre o passado (nas suas experiências) e o futuro, sobre o qual ele não tem controle, e onde seu projecto será sempre incompleto diante da morte inevitável.

  2- Como uma filosofia do tempo, o existencialismo exorta o homem a existir inteiramente "aqui" e "agora", para aceitar sua intensa "realidade humana" do momento presente. O passado representa arquivos de experiências a serem usadas no serviço do presente, e o futuro não é outra coisa que visões e ilusões para dar ao nosso presente direcção e propósito.

  3- Portanto, no homem, o ser está relacionado ao tempo e estado dado, - existe -, em três fenómenos, três "existenciais" que caracterizadas como as coisas do passado, do presente e do futuro se manifestem para o homem, e a unidade desses três fenómenos constitui a estrutura temporal que faz a existência inteligível, compreensível. São elas a afectividade, com que se liga ao passado pelo seu julgamento; a fala, com que se liga ao presente, e o entendimento, que é a inteligência com que lida com o seu futuro, com a angústia de sua predestinação à morte. Não podemos submeter - nos  a condicionamentos de nosso passado; não podemos permitir que sentimentos, memórias, ou hábitos se imponham sobre nosso presente e determinem seu conteúdo e qualidade. Nós também não podemos permitir que a ansiedade sobre os eventos futuros ocupem nosso presente, tirem sua espontaneidade e intensidade. Não podemos permitir que o nosso "aqui e agora" seja liquidado

 Em itálico, as minhas considerações pessoais

   Este resumo de Heidegger, é para mim importante porque liga de certo modo o fenómeno do tempo á psique humana. Na parte acima sublinhada, reconhecemos, na nossa opinião, a importância excepcional de algo que vulgarmente chamamos MEMÓRIA, (referida no texto como arquivo de experiências), na nossa noção de tempo e nosso comportamento face a esse "eventual “ fenómeno. Mas perguntamos a nós mesmos se muito do que  nós somos não é formado pelas nossas memórias? E como podemos viver o presente, sem ser afectados por essas experiências passadas? Será possível? Não, com certeza, porque como qualquer animal, estamos condicionados por experiências passadas. Não sou ninguém, mas considero a proposta de Heidegger para uma vida plena, apenas possível a indivíduos fora da normalidade.....mas tal não interfere com a plena “razão de raciocínio” deste filósofo.       Todavia, pergunto aos leitores: pensam que podem viver o presente sem qualquer influência, mesmo que inconsciente do vosso passado????

 

publicado por mochovelho às 21:57
link do post | comentar | ver comentários (11) | favorito
Sexta-feira, 25 de Julho de 2008

O SAPATEIRO E a CHINELA

     

   Esta tolice das poesias religiosas  constantes dos dois últimos post merece uma explicação aos meus actuais leitores, pois no contexto, no espírito do actual blog surgem como algo totalmente deslocado...inexplicável.....

    Estas "poesias" foram escritas , numa altura em que pertencia a um grupo de troca de ideias e discussão brasileiro sobre filosofia.

     Sem querer de modo algum denegrir ou ofender o povo brasileiro, eu não fazia ideia, ( apesar de ter passado por lá uns meses), sobre a prolixidade mística do país.... Devem ter mais “igrejas” e seitas religiosas estranhas do que os próprios EUA.  Aliás nunca percebi onde acabava a Virgem Negra e começava Iemanjá.....

.....Nesse grupo vi-me soterrado em lérias pseudo-religiosas, artigos sem fim , tentativas de conversão a não sei bem o quê e intermináveis discussões pseudo filosóficas...havia fulanos a provarem a existência de Deus com a Mecânica Quântica....um mundo de disparates......

   O assunto era definitivamente chato mas as pessoas eram simpáticas e educadas.....por outro lado, lá aparecia de vez em quando um ou outro artigo com interesse. Estas "poesias" são duas das  muitas  que foram postadas nesse grupo de discussão..... Foram a minha delicada contribuição para a loucura geral....KKKKKK!

....Notem que cada “poesia”, ( perdoem o abastardamento da palavra), foi " construida" para levantar uma questão que até nem está subtilmente disfarçada, mas que está feita de modo inatacável no que  concerne o respeito pelas convicções religiosas do próximo.... Enfim : questiona mas não ofende.

    É obvio que a primeira , intitulada IRMÃO põe em causa a desigualdade com que um presumível Deus trata os seus filhos... só um supercataclismo será para todos.... e a segunda, PÃO NOSSO, dá aos acontecimentos ditos predestinados  e divinamente comandados uma característica de acaso. Claro que não tiveram eco nenhum, pois , como disse um grande pensador: 

 

 “COM UM POUCO DE AGILIDADE MENTAL E ALGUMAS LEITURAS EM SEGUNDA MÃO, QUALQUER HOMEM ENCONTRA AS PROVAS DAQUILO EM QUE DESEJA ACREDITAR..”.

Assim são as discussões sobre religião....

 

publicado por mochovelho às 22:05
link do post | comentar | ver comentários (6) | favorito
Domingo, 20 de Julho de 2008

Ai! Ai!

                

 A TRAGÉDIA DOS COMENTARISTAS.

 

      Do Diário de Noticias de sábado, aqui há duas semanas, consta uma extensa entrevista a Miguel Sousa Tavares . Questionado sobre a sua conhecida frontalidade como comentador televisivo, Miguel Sousa Tavares diz algo como:

    NESSA POSIÇÃO, EU TENHO UM CONTRATO COM O PÚBLICO E DESSE CONTRATO CONSTA A OBRIGAÇÃO DE DIZER O QUE PENSO.

.....No Diário de Noticias do sábado seguinte, vinha um comentário do professor M.M. Carrilho,( que foi ministro da cultura e é hoje muito conhecido por ser casado com uma “vedeta” televisiva muito alta),que abordava a entrevista já mencionada, questionando  a afirmação de M.S.Tavares.

Segundo M.M. Carrilho:

      QUALQUER IDIOTA PODE E É CAPAZ DE DIZER O QUE PENSA, PORTANTO NÃO DEVE SER ESSE O CERNE DO CONTRATO. O CERNE DEVE SER SIM, ESCLARECER A SUA POSIÇÃO SOBRE UM ASSUNTO BASEADO EM CONHECIMENTOS E ESTUDO SÓLIDO DESTE, FUNDAMENTANDO ASSIM A OPINIÃO DADA....( Enfim , algo no género.... já deitei fora o jornal)

 

.... Aqui está um exemplo da política e da polémica á portuguesa....é tudo semântica e não passa disso.

....É verdade que M.S.Tavares é conhecido pelas suas respostas curtas e secas, mas nada autoriza o M.M. Carrilho a julgar que atrás delas não está uma reflexão , um julgamento tal como definido. Sendo M.S.Tavares o que é, torna-se muito provável que o seu acompanhamento e reflexão sobre assuntos nacionais e internacionais seja uma constante na sua actividade. Por outro lado pode não ter a habilidade didáctica de um Prof. Universitário, sem que isso desmereça as suas opiniões.....

 

    OU SERÁ QUE TUDO ISTO SE RESUME A UMA CONSEQUÊNCIA DOS RECENTES ÊXITOS LITERÁRIOS DE M.S.TAVARES...??????????

( Perguntar não ofende... né???)

 

publicado por mochovelho às 14:11
link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito
Sábado, 19 de Julho de 2008

REVISÃO

 

    O “ Mocho Velho”, teve, por um curto período alguns bons leitores e comentadores..... Não quero cometer a injustiça de esquecer algum, mas lembro-me de nomes como Sunshine, Neoabjeccionista, Samsara, Lala , Mimi, Contoselendas,,,, Mas claro que, tal como todas as modas passam eu também passei...KKKKK!

.....Não guardo uma única má recordação dessas pessoas, mas acredito perfeitamente que a recíproca não seja verdadeira. Sinceramente só tenho a agradecer a todas a sua contribuição para o estrebuchar dos meus moribundos neurónios. Mas permaneço suficientemente desperto para saber que a cyberdistância  contribui muito para as boas relações.... ( cá está o meu lado negativo a funcionar.....não tem cura...)

     Parece que Sunshine fechou o seu blog,( a todos ou somente a mim???...não sei ainda). Sunshine  tinha o condão de tornara as coisas simples muito interessantes.... É portanto, na minha opinião uma pessoa que VIVE , tira da vida , dentro dos limites do bom senso e virtude , o que a vida lhe pode dar.....bem haja e parabéns...Eu não sei fazê-lo... quem me dera!

     Neoabjeccionista ....um mestre das palavras e madrigais...misturados  com inteligência e muita “ratisse”.....Podia bem ter sido Casanova.... ( talvez a única coisa que o impedisse fosse a sua inteligência.....Dizem que os bons podem querer ser maus , mas , se forem inteligentes não conseguem......KKKK). Mas o Neoabjeccionista  tem o verdadeiro dom da palavra escrita....os seus textos , ás vezes são difíceis, mas isso é porque ele não se interessa em facilitar a vida a quem os lê....por isso não os organiza da forma mais fácil......

     Sansara..... que grande aperto me pregou esta engenheira ( ou não o fosse ela....claro). Com um sentido agudíssimo insinuou que eu teria optado pelo “Nick” de Mocho Velho por me julgar sábio.... Ai!Ai! Calma aí menina......Olho para a minha estante e vejo a  maior estatueta de mocho que tenho, em pedra, trazida da Grécia, ( aliás só lá havia pedras velhas...mas esta é definitiva e recentemente esculpida..). Minha amiga ....este velho identifica-se com o mocho por muitas razões , mas não pela arrogância........Mas lá que és esperta és...

......Referi-me ás pessoas que mais interferiram com o meu blog, o que de modo nenhum me faz esquecer as que apareceram uma só vez ..ou duas. ...... Ultimamente o blog quase não tem comentários...haveria razões objectivas , segundo algumas mentalidades para lhe pôr fim.....MAS EU NÃO FAÇO ISSO.

   Eu preciso deste “psiquiatra “ mesmo que seja mudo..... É aqui quer o meu EGO se encontra com o meu SUPEREGO..... é isto que eu uso para SABER QUEM SOU, E COMO ESTOU! Mais importante para mim do que vocês lerem isto , É EU ESCREVER E LER ISTO! É AQUI QUE EU QUEBRO A REGRA DE ESCONDER PARTE DO QUE PENSO E  OBTENHO PORTANTO ALIVIO PARA A MINHA SOLIDÃO.....

 

 Um grande abraço a todos.

 

publicado por mochovelho às 19:43
link do post | comentar | ver comentários (9) | favorito
Sábado, 12 de Julho de 2008

...

       PACHECO! PACHECO! LEVANTA-TE

 

   Para o alferes miliciano Rocha aquilo era a rotina , o dia a dia. Saia-se de madrugada , numa coluna motorizada de Unimogs e Berliets. Eram largados em dado local, previamente marcado no mapa e a partir daí  tinham dois dias a pé por colinas e pequenos vales , capim e floresta, com duas rações de combate e dois cantis de água. À cintura o peso de pelo menos 5 carregadores de 20 balas e nos braços a sua única amiga.....

   Já há quase 14 meses que estavam naquela miséria de aquartelamento nos Dembos e devia estar perto a rendição por uma companhia recém chegada do “puto”(*), sendo eles então retirados para um lugar mais calmo, no sul ou perto de Luanda, até perfazerem os dois  anos de comissão. Talvez por isso Rocha sentisse uma maior relutância dos seus homens em saírem nestas patrulhas, em exporem-se.....Compreendia-se: se tinham escapado quase até ao fim, a hipótese de terem um azar quando já viam mais perto maior segurança afectava-os de forma evidente.

    O batalhão , até agora tinha tido sorte... Apenas três mortos  e vários feridos . O seu pelotão tinha saído incólume de toda aquela farsa...as únicas baixas tinham sido dois homens retirados para Luanda por um paludismo com complicações sérias.

   Sentado ao lado do motorista do segundo Unimog da coluna , Rocha ouvia a conversa dos seus homens, lá atrás, nos bancos corridos .....sempre a mesma:”Mas quando é que vamos ser rendidos”. perguntava o primeiro cabo Pacheco....” O filho da puta do comandante sabe, mas não diz,...o cabrão” respondia o “Corrécio”. Rocha fazia orelhas mocas àquelas conversas.... o comandante até nem era má pessoa.....todos os comandantes eram comandados e aquele , se calhar, como muitos outros, tinha escolhido a profissão errada na altura errada.....

.....E foi mergulhado nestes pensamentos que se apercebeu dos primeiros tiros. A reacção foi imediata,como o costume.Os soldados saltaram das viaturas atiraram-se para o chão, ao longo da picada e começaram a descarregar carregadores de balas regando o mato com aço. Rocha não disparou, não valia a pena, já havia balas mais do que suficientes a serem disparadas contra um inimigo que não se via.  Felizmente , este tipo de emboscadas eram levados a cabo por elementos da FNLA, os guerrilheiros residentes. Eram mal treinados, mal abastecidos e mal armados....metiam a cabeça no chão e disparavam a arma por cima dela, na direcção das colunas na picada , sem nada verem....

.....Rocha chamou o homem do morteiro de 60 e mandou-o colocar duas granadas cem metros no interior da mata.... geralmente isso acabava logo com a escaramuça. E assim foi, como o costume, os tiros vindos da mata acabaram logo. Ficaram algum tempo deitados na beira da picada para se certificarem que os atacantes tinham retirado.  Acalmada a situação, levantaram-se e começaram a subir para as viaturas. Mais uma vez tudo parecia ter-se passado sem grandes danos...Apenas mais um susto para a colecção, assim pensou Rocha enquanto subia para o seu lugar... e foi então que ouviu o Corrécio:

 PACHECO!... PACHECO!.... LEVANTA-TE HOMEM ...QUERES FICAR AQUI......

 

(*) "Puto", era o nome dado pelos soldados em áfrica á metrópole, Portugal.....

 

publicado por mochovelho às 00:00
link do post | comentar | ver comentários (5) | favorito
Quinta-feira, 10 de Julho de 2008

NEM SEI O QUE DIGA

        RIR ou CHORAR????

 

    A nossa envolvente não dá para outra coisa senão para as duas situações extremas do título. Eu, que passo a vida a dizer que as coisas nunca são brancas ou pretas, tenho que me render a esta excepção

 

        CHORAR

 

     Quando é que alguém explica aos portugueses, “preto no branco”

 que eles são a “ralé” da Europa comunitária e que não podem de modo algum  ter o nível de vida de um espanhol, de um inglês sueco ou alemão???? Quando é que alguém lhes explica, que , numa casa de família , numa empresa ou num país, o dinheiro que entra tem que ser mais do que aquele que é gasto ou redistribuido? Onde estão as grandes marcas portuguesas que se espraiam pelo mundo??? Não estou a falar do Mateus Rosé ou qualquer outro vinho, estou a falar de carros , de maquinaria, de “know how”. As fronteiras económicas de um país , estão onde estão os seus produtos e serviços. E porque são as coisas assim???? Porque está este  país de mão estendida, á espera do óbolo europeu?

     Sou capaz de ter uma ideia mas não a arriscaria.....Melhor seria que os cérebros deste país se reunissem e estudassem a situação  Será que não o fazem por terem medo das conclusões??? É bem certo que não vale de nada estudar uma situação e traçar um caminho que depois não pode ser trilhado....será isso?????

 

             RIR

 

     Creio que há pelo menos um decénio que ouço falar todos os anos do fantasma da matemática para os estudantes portugueses....As notas são uma desgraça e há quem escolha orientações profissionais na vida em função de estas exigirem ou não conhecimentos  e á vontade com a matemática.

     SÚBITAMENTE lemos nos jornais que as últimas provas de aferição dos alunos do secundário a matemática forneceram resultados espectacularmente bons Portanto 90% dos alunos do ano passado eram péssimos a matemática e 90% dos alunos deste ano são de aceitáveis a bons em matemática.

 

 

Há alguém que me explique isto....?????....Ou posso rir á vontade?????

publicado por mochovelho às 22:06
link do post | comentar | ver comentários (7) | favorito
Sábado, 5 de Julho de 2008

RESPOSTAS

         RESPOSTAS.....LOL

 

 

Das perguntas que postei a meias com o Neoabjeccionista já dei a minha resposta a referente ao suicídio, mas faltam ainda outras duas.....

     QUAL A MELHOR COISA QUE UMA PESSOA PODE DEIXAR A ESTE MUNDO?

 

 

 

 ÓVIAMENTE UM FILHO(A), MELHOR, MAIS BEM PREPARADO QUE ELA.

     Reparem, se a pessoa foi um exemplo de comportamento social , de solidariedade, ou foi um exemplo em obras , descobertas úteis á humanidade, nestas condições e  esquecendo as arbitrariedades da vida , o filho poderá dar uma contribuição ainda maior.....Se porém a pessoa foi um medíocre  ou mesmo um falhanço completo , nestes aspectos, o filho ser melhor que ela não faz mal, antes pelo contrário. Poderá ser , probabilisticamente, menos medíocre, menos falhanço e isso é positivo.

 

 O QUE MAIS DEPLORO NO COMPORTAMENTO HUMANO

    Quanto aquilo que mais deploro no comportamento humano é  A NEGLIGÊNCIA, O DESINTERESSE NATO POR TUDO,  O “DEIXA ANDAR”

Dêem-me um ignorante e eu ainda poderei fazer qualquer coisa dele, mas de um negligente, de um desinteressado nem sequer tento. E o bem ( assim como o mal...KKKK), deste mundo não pode ser feito por negligentes e desinteressados......

    Quando penso que um referendo nacional em Portugal tem uma afluência ás urnas de menos de 50 % , penso que este país seria de certeza mais feliz se governado por um ditador de chicote na mão.

 

PS para Sunshine. Não consigo postar os meus comentários ou respostas á suas, no seu  blog. O Sapo, recusa-se a reconhecer-me...( começo a pensar que aquela história do sapo que recebeu um beijo e se transformou em príncipe era só uma treta para crianças)...vou mudar para a netcabo

 

 

publicado por mochovelho às 23:05
link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito
Quarta-feira, 2 de Julho de 2008

SUICÍDIO II

      No post anterior ilustrei várias das muitas situações que podemos encontrar e que podem levar, ( e levam), uma pessoa ao suicídio. Neste post, agora, vou pôr a minha opinião : o que penso sobre o assunto....Honestamente sei que o suicídio, da parte de quem o comete e de quem com as suas consequências se confronta, não é só uma questão de pensamento racionalizado. O sentir estará fatalmente presente na maioria dos casos infelizmente.Todavia não o devo levar em conta , porque entramos numa subjectividade que inviabiliza qualquer opinião e discussão.

     O suicídio foi sempre mal visto pela sociedade quer civil, quer religiosa, o que é perfeitamente explicável porque ambas as sociedades quiseram desde sempre, ser proprietárias da pessoa, do ser humano, em todos os seus aspectos. O suicida foge á sua influência, ao seu castigo, ao seu poder....toma uma liberdade que as sociedades não permitem. Foge-lhes. Por isso denigrem o acto tanto quanto podem, não pelas suas consequências mas pelo que significa em termos de escapar aos poderes constituídos.

      Se um homem que está na prisão, na ala dos condenados á morte,á espera da hora da sua execução, consegui-se cometer suicídio, todos sabemos a frustração que tal representaria para as autoridades responsáveis, apesar do resultado final ser o mesmo.

      Fala-se tanto dos direitos humanos e questiona-se o direito de uma pessoa dispor da sua própria vida?  Consideremos , por exemplo uma pessoa que se debate com uma doença terminal que lhe causa intenso sofrimento, causando também desconforto e sofrimento moral aos seus, aos que o rodeiam e suponhamos que essa situação é irreversível. Como se pode condenar essa pessoa se ela optar por termo á vida? Ou será que ela tem de sofrer um sofrimento inútil para oferecer em sacrifício aos deuses?????

       Para mim, pelo que vi, pelo que li  e discuti até agora , só há uma circunstância em que o suicídio pode ser condenável.... quando a vida do suicida ainda é necessária para bem  estar de outros. Isso pode bem acontecer......mas estou a pensar apenas em aspectos materiais e desconsidero completamente os sentimentais.

 

publicado por mochovelho às 17:11
link do post | comentar | ver comentários (3) | favorito
Terça-feira, 1 de Julho de 2008

SUICIDIO

   A minha questão sobre o suicídio, ou,  para ser um pouco mais verdadeiro as minhas respostas aos comentários tem provocado certas reacções que, por muito educadas que sejam, denunciam oposição declarada.

 ... Mas, quando chamam ao acto de suicídio uma cobardia como se o fosse sempre, sinto dentro de mim uma pequena revolta e queria conversar amigavelmente com os que assim pensam:

Vou fazê-lo em duas fases...Esta é a primeira. Na segunda farei os meius comentários e entender-nos-emos bastante melhor, espero eu......

 

      Em 1968, estando a então Checoeslováquia sob o arbitrário domínio soviético, Jan Palach, um estudante universitário de 22 anos de idade, imolou-se pelo fogo, em plena praça de S. Venceslau na hora de maior movimento. O seu suicídio, de acordo com a nota que deixou foi um protesto contra a falta de liberdade do seu povo e do domínio soviético.  Fez o que pode, lutou como achou que o podia fazer..... A noticia correu mundo, e, de certo modo Jan Palach atingiu alguns dos seus objectivos...pelo menos chamou mais uma vez a atenção da comunidade internacional, sobre a insuportável dominação soviética dos países da então Europa de leste

   

  John X, militar fuzileiro,  ferido gravemente numa patrulha, não foi deixado para trás pelos seus companheiros. Estes improvisaram uma padiola e transportavam John X , á vez, fugindo de um inimigo numeroso que os perseguia e se aproximava cada vez mais. John X tinha a consciência do esforço que todos estavam a fazer para o salvar e do enorme risco que estavam a correr.... morreriam todos sob as armas de um inimigo implacável. Pediu que o deixassem para trás, pediu que acabassem com ele...um tiro de misericórdia, mas nenhum dos seus companheiros admitia sequer essa hipótese, mesmo já quase ouvindo os passos dos implacáveis perseguidores. Num dos raros momentos de pausa naquela corrida pela vida, um dos companheiros de John adormeceu ao lado dele. Pouco depois todos  se sobressaltaram com um tiro. John , havia tomado a arma ao seu companheiro adormecido e tinha posto fim á sua vida, dando assim, ao resto da patrulha uma muito maior possibilidade de se salvarem de um massacre....

 

     Jim K, casado, pai de dois filhos, olhou para as folhas de papel que tinha á sua frente, que denunciavam bem o catastrófico grau de falência a que chegara a sua empresa... seria pouco provável não sofrer prisão com uma situação daquelas. Pensou na sua mulher Mary e nos seus filhos. Pensou na Shirley, sua amante , na luxuosa casa que lhe havia dado, nos carros e vida de luxo....estava aí uma das causas daquela situação financeira desastrosa.  De que iriam viver Mary e os garotos, quando a situação rebentasse??? Ainda por cima , Mary, que tudo tinha sempre feito por ele, iria saber que tudo se devia á sua infidelidade.....O coração apertava-se cada vez mais...o sentido de culpa avolumou-se no seu espírito já esmagado pela responsabilidade. O que podia ele fazer.... se ao menos a situação resultasse de um desastre financeiro, um erro de cálculo, mas não, estava ali, preto no branco, um enorme volume de despesas com outra mulher.......Pensou, apertou a cabeça entre as mãos e abriu a gaveta da secretária onde tinha o seu .38. Uns momentos mais tarde a sua secretária particular, do lado de lá do da porta do gabinete, sobressaltou-se com o estrondo.

 

      Kirk era o que se pode chamar um inglês tranquilo. Os seus pais já tinham falecido e ele vivia agora sozinho naquela casa que lhe parecia grande demais. Não tinha casado, ....ás vezes pensava que não o fizera por egoísmo , porque na sua opinião o casamento era uma responsabilidade. A sua vida resumia-se a circular entre o emprego e a sua casa e a falar o mínimo possível com a empregada doméstica que lá ia periodicamente fazer limpezas e recolher a roupa suja...Mesmo quando ocasionalmente ia ao “pub”, no meio da galhofa geral, ele tinha apenas palavras para pedir ao “barman” a bebida do costume.  Com o chegar dos cinquenta anos , habituou-se a dar longos passeios ao longo do cais e a contemplar aquele mar do norte sempre rebelde....Ás vezes pensava que só tinha um amigo: aquele mar sem fim. Começou a pensar na sua vida...o que ela era e quais as suas perspectivas, Levando em conta a sua misoginia, as perspectivas não lhe pareceram agradáveis....mas há coisas que não se podem ultrapassar. Um dia saiu para o passeio do costume no cais , e nunca mais voltou.......

 

 

    

publicado por mochovelho às 21:40
link do post | comentar | ver comentários (7) | favorito

mais sobre mim


ver perfil

. 1 seguidor

pesquisar

Agosto 2009

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
31

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

posts recentes

AS APLICAÇOES PRÁTICAS D...

DESCRIMINAÇÃO

VIVA A BADERNA

HAVERÁ TERCEIRA VIA??

Há terceira via??????

O PADROEIRO

EMÉTICO

ACUDAM !!!!!

...

BIBA!BIBA!BIBA!

TERRORISMO E PRESERVATIVO...

A CRISE

DISCIPLINA

O QUE SERÁ?

O REGRESSO DOS ABUTRES

O IMOBILIÁRIO

A CRISE

QUE TAL....

Aonde vamos????

DUARTE de ALMEIDA

arquivos

Agosto 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

links

blogs SAPO

subscrever feeds