Terça-feira, 28 de Outubro de 2008

DISCIPLINA

        

   DISCIPLINA DISCIPLINA DISCIPLINA  DISCIPLINA

A certa altura da minha vida profissional, fui responsável pela compra de um  equipamento caríssimo para a fábrica. Estudadas várias propostas decidi-me por equipamento alemão. Fiz várias viagens á Alemanha, para afinar o fornecimento e, quando chegou a altura, uma equipe alemã, chegou a Portugal e começou a montar o equipamento.... Um espanto...excedeu completamente as minhas mais ambiciosas expectativas......

    O conjunto era composto por enormes e pesadíssimas paletes de ferro de 4 x2 m, que circulavam sobre caminhos de rolos. Em cada palete era instalado um molde, de madeira ou resina das peças a moldar para depois serem vazadas em aço. Todo o circuito era controlado por um computador, onde eram programadas o nº de voltas que cada palete dava ao circuito. Completado esse nº de voltas, a palete recolhia automaticamente a uma linha de armazenamento lateral e outra entrava para o seu lugar. A coisa funcionava espantosamente bem.......O chefe da equipa alemã era o M... , um individuo já de idade, que causava inveja a muito rapaz novo, movendo-se com a agilidade de um macaco naquele enorme estaleiro. Saltava valas, subia por tubos, equilibrava-se nos caminhos das pontes rolantes.... onde fosse preciso lá estava ele.

O único defeito que tinha era o seu mau inglês...mas isso ultrapassava-se bem. Um dia, em conversa com outros engenheiro do estaleiro soube que o M... tinha uma perna amputada, perdida na guerra, e usava uma prótese....Perante aquilo eu fiquei banzado...banzado e envergonhado para falar verdade, pois ele nessa condições conseguia uma aplicação física que eu nem de perto acompanhava.

  Quando foi a altura da aprovação final do equipamento, um dia solene, programei o equipamento e pus aquilo tudo a funcionar.....A certa altura digo para M..: “Agora , vamos tirar a placa 4 e substitui-la pela 9 que está em espera” . M.. olha para mim e diz-me no seu inglês macarrónico: “ Não pode porque programou a placa 4 para dar 10 voltas e ela ainda só deu 6!”  “Está bem, programei a placa 4 para fazer 10 peças , mas agora quero tirá-la e pôr outra, como se faz aqui no comando central da instalação??? Resposta: “Não pode alterar...se programou para dez tem que ser 10”. Durante os dois dias seguintes apresentei todos os argumentos possíveis a M.. para o convencer que tinha de me ser possível , fazer isso, mas a resposta é sempre a mesma: “ O sistema está bem, e o que é programado deve ser feito, deve ir até ao fim....”

  Resolvi convidar o M.. para almoçar, pois pela minha experiência consegue-se muita coisa á mesa. M.. bebeu e soltou-se, contando-me a sua história.....Tinha aprendido o pouco inglês que sabia quando os americanos o prenderam no fim da guerra pois ele pertencia ás SS...Logo que deu conta do que havia confessado, apressou-se com aflição a esclarecer que era das SS mas das tropas de assalto, e que nunca tinha estado nos “catzet” ( campos de concentração??? talvez). Tinha combatido na frente russa.... e aí solta-se novamente e diz: “Ficamos a 30 Km de Moscovo... e eu ali, sem lá chegar....”( cerra os punhos junto á cara). Depois quando os americanos o libertaram foi a vez das comissões alemãs de desnazificação o prenderem outra vez.....Que vida!!!! Este gajo é duro como o aço....eu não vou conseguir o que quero só com palavras, pensei eu...

   No dia seguinte havia outro ensaio do sistema , e mandei pôr numa das placas um molde de madeira velho , já sem interesse, e programei a placa para 10 voltas.... arrancamos e ficamos a controlar. Quando a placa passou á minha frente , á quarta volta, saco de um martelo que tinha atrás das costas e dou uma forte pancada numa flange arrancando-a. O M.. ficou a olhar para mim julgando que eu tinha enlouquecido e então eu disse-lhe: “ Vê M.., acidentes estão sempre a acontecer...e agora o que é que fazemos? Deixamos esta placa andar toda espatifada mais seis voltas.... isso é deitar dinheiro fora!” O M.. olhou para mim com um ar de estonteado e disse-me: “OK amanhã está resolvido!”

  No dia seguinte, quando cheguei ao painel de programação, notei que havia um local onde figurava, algo de novo: uma fechadura embutida com uma chave....O M.. com grande cerimónia, retira a chave e diz-me: “Esta chave permite invalidar a programação estabelecida antes dela chegar ao fim e reprogramar.... mas esta chave é só para si , não é para mais ninguém....só o chefe é que pode modificar a programação  e o que é programado é para ser cumprido.” Guardei a chave e prometi-lhe solenemente que só o chefe de produção teria acesso a ela.

DISCIPLINA  DISCIPLINA DISCIPLINA

 

 

publicado por mochovelho às 21:02
link do post | comentar | favorito
2 comentários:
De maria de fátima a 29 de Outubro de 2008 às 21:26
Olá José eu acho que a disciplina é muito importante.Gostei muito de ler esta história e também a achei muito engraçada.Beijinhos e abraços.
De samsara a 30 de Outubro de 2008 às 20:59
Olá Mochovelho
Adorei a história, realmente a disciplina é importante, mas para nós portugueses tem que ter alguma flexibilidade, hehehehe.
Beijinhos

Comentar post

mais sobre mim


ver perfil

. 1 seguidor

pesquisar

Agosto 2009

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
31

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

posts recentes

AS APLICAÇOES PRÁTICAS D...

DESCRIMINAÇÃO

VIVA A BADERNA

HAVERÁ TERCEIRA VIA??

Há terceira via??????

O PADROEIRO

EMÉTICO

ACUDAM !!!!!

...

BIBA!BIBA!BIBA!

TERRORISMO E PRESERVATIVO...

A CRISE

DISCIPLINA

O QUE SERÁ?

O REGRESSO DOS ABUTRES

O IMOBILIÁRIO

A CRISE

QUE TAL....

Aonde vamos????

DUARTE de ALMEIDA

arquivos

Agosto 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

links

blogs SAPO

subscrever feeds